NOTÍCIAS
Assassinato de cachorro em supermercado revolta Arimateia
Parlamentar ficou indignado e disse que é preciso repudiar "atos de extermínio, violência e constantes abusos aos direitos dos animais"

Compartilhe

O deputado José de Arimateia (PRB) manifestou indignação com o ato de violência que resultou na morte de um cachorro no supermercado Carrefour, na cidade de Osasco, em São Paulo. O parlamentar incluiu na ata da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) uma moção contraria ao ocorrido e apelou para que a Polícia Civil do município paulista tome providências para que os autores sejam identificados e, em seguida, devidamente punidos, em concordância com o que prevê o Código Penal.  

 “Somente este ano, já é a terceira vez que preciso me manifestar em repúdio a atos de extermínio, violência, desumanidade e constantes abusos aos direitos dos animais. Com isso, volto a questionar: quantos ainda morrerão em todo o País?”, indaga o legislador baiano.    

Arimateia reiterou que frequentemente os dispositivos legais que tratam do assunto são atropelados pela indiferença de autoridades capazes de frear atos brutais, deixando nos agressores e assassinos o sentimento de impunidade. O legislador atribuiu ainda a falta de delegacias especializadas e a possibilidade de reversão da penalidade como alguns dos fatores que alicerçam semelhantes atitudes.  

Como parlamentar e defensor dos direitos à vida e ao bem-estar dos animais, Arimateia foi o autor da Lei estadual 13.472/2016, que cria a Semana de Conscientização e Proteção dos Direitos dos Animais, com o objetivo de reforçar o conhecimento, incentivar e resguardar o cumprimento dos direitos destes seres vivos. No ano seguinte, apresentou  dois projetos de lei, um determinando o pagamento de multa aos atos de crueldade cometidos contra estes seres, e outro que institui o “Disque Denúncia de Maus-Tratos aos Animais” no âmbito da Bahia, dentre tantas outras iniciativas em defesa dos animais ao longo dos três mandatos como deputado estadual na ALBA. 

O  CASO

Nos últimos dias, o noticiário pegou fogo com a divulgação do envenenamento e espancamento de um cachorro. O principal suspeito é um funcionário da rede de supermercados Carrefour. A situação ocorreu na última sexta-feira (30), no município paulista de Osasco.  

Em nota de esclarecimento, a Rede Carrefour alega que o Núcleo de Controle de Zoonoses (NCZ) de Osasco foi acionado diversas vezes para que o cachorro fosse retirada do local, mas o chamado só foi atendido na última sexta-feira e que o animal perdeu os sentidos após abordagem inadequada de profissionais do NCZ. Já a prefeitura de Osasco afirmou que recolheu o animal já ferido e com sangramento intenso, mucosas anêmicas, pressão baixa severa, hipotermia intensa, vômito com sangue e escoriações múltiplas, vindo a óbito, apesar do tratamento emergencial. 

Divulgação/AgênciaALBA
  • Publicado em: 05/12/2018
  • Setor responsável: ASSESSORIA COMUNICACAO SOCIAL
  • Compartilhar: